A trajetória do profissional unespiano da Cartografia e da Agrimensura



 


“Toda a perda de um ente querido é difícil de ser assimilada!”


“Em 1984, quando o Amilton Amorim começou o curso de Engenharia Cartográfica, vários dos amigos do Departamento de Cartografia ou eram alunos ou docentes. Ele ficou muito próximo de todas as turmas, com seu jeito de menino, comunicativo e sempre amante do futebol”.


“Em 1988, ocorreu a defesa de TG do grupo dele. Foi aprovado, mas tudo foi muito acalorado e com muitas conversas e risadas!”


“A partir daí ele trilhou sua caminhada profissional fora de Presidente Prudente, onde atuou como Engenheiro Cartógrafo autônomo, mas também em prefeituras e empresas da área, sempre retomando o contato com membros do Departamento de Cartografia”.


“Foi contratado no Departamento de Cartografia, numa vaga da área de Desenho, ministrando com maestria disciplinas dessa área. Aos poucos foi enveredando para a área de Cadastro, sua verdadeira paixão dentro da Engenharia Cartográfica. Paixão essa que o acompanhou durante toda sua vida. Fez mestrado, doutorado, sempre pensando na sua formação, mas também em como ajudar a formar mais e mais alunos na Cartografia e até mesmo na Matemática, onde também ministrou aulas. Trata-se de um profissional de alto reconhecimento na sua área de atuação. Publicou artigos, capítulos de livros e um livro sobre Cadastro e Gestão Territorial, esse último pela Editora Unesp, que se tem tornado de extrema valia para os alunos. Sempre teve muita cordialidade com os alunos e formou uma legião de amigos neste segmento”.


“Aos poucos iniciou suas atividades no nosso programa de pós-graduação em Ciências Cartográficas e rapidamente conquistou seus orientandos e dividiu com eles sua experiência e senso de justiça!”


“Na vida profissional na FCT, trouxe a bagagem que conquistou nas empresas e fez dela um diferencial na formação de nossos alunos de forma geral. Trabalhou incansavelmente pelo curso, contribuindo nas posições administrativas do departamento e dos cursos de graduação e de pós-graduação. Na graduação da engenharia, sempre contribuiu com as orientações dos TG e TCC, emprestando aos alunos o seu conhecimento, suas ideias e seu bom humor de sempre!”


“Foi como presidente da Fundacte que o Amilton construiu os prédios que abrigam o Santander e o café, como também três excelentes auditórios. Havia uma livraria e uma atmosfera muito agradável ao redor daquela área. Esse era o espírito do Amilton, um empreendedor dentro da esfera pública. Ele sacrificou parte de sua vida acadêmica e pessoal por este projeto coletivo, do qual até hoje usufruímos”.


“Hoje quando sua luz na terra se apaga, temos certeza que ela se reacendeu no plano espiritual de uma forma muito intensa!”


“Vai ser difícil conviver com sua partida precoce, mas devemos continuar e sempre vamos lembrar do legado deixado por você, mesmo todos nós considerando que você partiu muito jovem e tinha muito a contribuir. O Departamento de Cartografia e o nosso grupo de WhatsApp não serão os mesmos depois da sua partida e do retorno dessa pandemia. Perdemos nosso ‘moleque brincalhão’ que trazia alegria e descontração frente às pressões do cotidiano”.


“A foto abaixo é de 2019, quando parte da turma de Engenharia Cartográfica de 1985, do Prof. Erivaldo, se reencontrou na Represa de Martinópolis para comemorar os 35 anos de formado. O Amilton fez questão de participar e compartilhar os bons momentos de conversa e muita risada, além de apreciar com a turma a tão gostosa cervejinha! Essa é uma das fotos para guardar na memória, o Amilton sempre com seu SORRISO largo!”



“Amilton, descanse em paz, que sua família, encontre na sua trajetória de vida, mesmo que breve, conforto para os momentos difíceis! Todos nós sabemos de seu amor para com a família e o excelente pai que sempre foi. Nós, seus amigos, teremos eterna SAUDADE, mas sabemos que, de onde estiver, vai estar olhando por nós! Esperamos que esta singela homenagem chegue até você no plano espiritual e que você siga daí, nosso querido AMIGO”.


Departamento de Cartografia da FCT/Unesp


O Crea-SP e a Câmara Especializada de Engenharia de Agrimensura, enlutados, também se solidarizam com a família e os amigos do excelente profissional e conselheiro suplente da região de Presidente Prudente Prof. Amilton Amorim.


 


Fonte

Faça sua inscrição gratuita e acompanhe on-line



O 3DEXPERIENCE World 2021, antigo SOLIDWORKS World, acontece pela primeira vez em formato 100% online e gratuito. Trata-se de um dos maiores eventos do mundo para a comunidade de tecnologia, designers, engenheiros, empreendedores e líderes de negócios.


O 3DEXPERIENCE World 2021 acontece de 8 a 11 de fevereiro de 2021 e é organizado pela Dassault Systèmes.


No evento, serão apresentados diversos anúncios globais, novos cases e projetos desenvolvidos por alguns dos 270.000 clientes que utilizam mundialmente a plataforma da Dassault Systèmes em projetos de Inovação, Sustentabilidade, Design, Engenharia e Construção, Saúde e Educação.


As apresentações serão feitas por especialistas e importantes executivos internacionais como: Bernard Charlès (CEO e vice-presidente do Conselho de Administração da Dassault Systèmes), Gian Paolo Bassi (CEO da SOLIDWORKS), Duncan Wardle (ex-Head de Inovação e Criatividade da Disney e fundador da iD8) e Frank Stephenson (designer especializado em marcas como Ferrari, Maserati, McLaren e MINI).


As inscrições para o 3DEXPERIENCE World 2021 podem ser feitas gratuitamente aqui.


O Blog da Engenharia faz a cobertura do evento, em português.


 


Produzido pelo Departamento de Comunicação do Crea-SP


Com informações do Blog da Engenharia


 


Fonte

Indicações de profissionais pelo Conselho paulista foram aceitas por unanimidade



Uma das principais razões da participação dos Creas nas reuniões anuais do Colégio de Presidentes (CP) é sempre a de levar para análise e aprovação das lideranças do Sistema Confea/Crea proposições que resultem em benefício para as empresas e profissionais registrados e para a valorização das profissões das Engenharia, Agronomia e Geociências.


Essa preocupação foi plenamente atendida pelo Conselho paulista durante a reunião do CP realizada em Brasília na última semana, quando o presidente Eng. Vinicius Marchese Marinelli propôs a candidatura de duas experientes conselheiras para representar a Autarquia no Conselho Deliberativo da ABNT – Associação Nacional de Normas Técnicas, tendo como resultado a aclamação unânime dos nomes da ex-vice-presidente do Crea-SP, Engª Lenita Secco Brandão, e da diretora de Eventos do Ibape-SP – Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia, Engª Fabiana Albano.


Segundo o presidente do Crea-SP, “a indicação da nossa representação visa a uma aproximação cada vez maior com a renomada ABNT, para proporcionar às empresas e profissionais registrados benefícios que levem ao aprimoramento de suas atividades, tanto do ponto de vista técnico como ético, uma vez que a Associação prima por esses valores, com os quais comungamos no nosso Conselho”.


A eleição para o Conselho Deliberativo da ABNT envolve todos os associados, destacando as maiores Federações e Associações – e até mesmo os sócios individuais.  É realizada de forma eletrônica, para garantir que todos possam votar.  Os eleitos tomam posse na Assembleia Geral, onde todo ano é renovado 1/3 dos membros (como na Renovação do Terço do Crea-SP, o que possibilita a reeleição de alguns membros, não provocando a descontinuidade.



A ABNT


A ABNT é o Foro Nacional de Normalização por reconhecimento da sociedade brasileira desde a sua fundação, em 28 de setembro de 1940, e confirmado pelo governo federal por meio de diversos instrumentos legais.


Desde 1950, a ABNT atua também na Avaliação da Conformidade e dispõe de programas para certificação de produtos, sistemas e rotulagem ambiental. Esta atividade está fundamentada em guias e princípios técnicos internacionalmente aceitos e alicerçada em uma estrutura técnica e de auditores multidisciplinares, garantindo credibilidade, ética e reconhecimento dos serviços prestados.


Trabalhando em sintonia com governos e com a sociedade, a ABNT contribui para a implementação de políticas públicas, promove o desenvolvimento de mercados, a defesa dos consumidores e a segurança de todos os cidadãos.



AS REPRESENTANTES DO CREA-SP


A ex-vice-presidente do Crea-SP, Engª Civil Lenita Secco Brandão, formou-se em 2000 pela Universidade Pontifícia Católica de Campinas. Trabalha na área da Engenharia há 30 anos. Desde 2004 vem se especializando na área de Acessibilidade. Conselheira e diretora financeira do Crea-SP em 2019, atuou na vice-presidência do Conselho no ano de 2020. Foi indicada pelo Confea como Especialista na Comissão Temática de Acessibilidade e Equipamentos no ano de 2017. É integrante do Grupo de Trabalho da Consulta Nacional do Projeto de Emenda da ABNT 9050 e da CPA – Comissão Permanente de Acessibilidade das cidades de Americana e São Paulo. Profissional Autônoma, trabalhando com Consultoria, Perícias, Laudos Técnicos de Acessibilidade e Projetos que envolvem a área da Engenharia Civil.




Engenheiras Lenita e Fabiana: forte representação do Crea-SP no Conselho Deliberativo da ABNT

A diretora de Eventos do Ibape-SP é conselheira do Crea-SP, como membro da Câmara Especializada de Engenharia Civil. É vice-coordenadora da Câmara de Perícias do Ibape-SP e membro da Comissão de Revisão da Norma NBR 13752 – Perícias de Engenharia na Construção Civil. Desde 2002 milita em Perícias Judiciais em vários Foros da Capital, Interior e Litoral, com larga experiência e especialização em trabalhos onde existe a necessidade de provas técnicas da área de Engenharia e Documentoscopia/Grafoscopia, diante da interface técnica/jurídica.



O CONVÊNIO E SEUS BENEFÍCIOS


Este ano os profissionais registrados no Sistema Confea/Crea e em dia com os seus Conselhos têm desconto de 66% na aquisição de normas técnicas da ABNT – maior do que em 2020. Além disso, o convênio entre o Confea, Creas e a ABNT prevê desconto de 50% em cursos e a gratuidade de acesso para as normas citadas em regulamentação federal.


Por meio do convênio, a ABNT disponibilizou pontos de acesso de links ao seu banco de dados digitais. Esses pontos foram distribuídos pelas Unidades de Atendimento do Crea-SP.


Atualmente a ABNT oferece cerca de 9 mil normas técnicas no ABNTCatálogo que podem ser consultadas e visualizadas de acordo com o interesse do usuário. Para acessar a plataforma – www.abntcatalogo.com.br/confea – o profissional precisa do número do CPF e do Registro Nacional do Profissional (RNP), fornecido pelo Confea através do Sistema de Informações Confea (SIC), e em seguida digitar sua senha. Caso seja seu primeiro acesso, é necessário cadastrar uma senha.


Saiba como visualizar uma norma técnica acessando este tutorial. Para outras informações, acesse www.abnt.org.br.



O CONCEITO DE NORMATIZAÇÃO


Seja para uso pessoal, seja para uma troca econômica, não basta que apenas um homem saiba produzir determinados objetos e que ele seja capaz de fazê-lo apenas uma vez. O produto do trabalho humano é o produto da sociedade humana e saber fazer alguma coisa significa que muitos homens, no presente e no futuro, em qualquer lugar, em qualquer tempo, também precisam ser capazes de fazer.


Na realidade, o conhecimento teórico ou prático, desprovido dos meios para sua conservação e transmissão, pouco significa em si mesmo. O trabalho humano se torna material por meio de procedimentos, regras, instruções, modelos, que podem ser repetidos, ensinados e aprendidos. Sem essa condição fundamental – a expressão do conhecimento em regras compreensíveis pelo outro –, a civilização material não tem condições de se reproduzir. Ensinar e aprender a criar são atos que requerem uma linguagem comum. Criar essa linguagem é a principal meta da ABNT, em busca da criação de padrões de qualidade cada vez mais aprimorados e mais seguros para a sociedade.

Reportagem: Jorn. Guilherme Monteiro – Departamento de Comunicação do Crea-SP.

Fotos: Divulgação.


 


Fonte

Durante o evento foi anunciado a criação do Plano de Fiscalização Ambiental



O Crea-SP realizou no dia 30 de janeiro o 2° Encontro Paulista de Engenharia Ambiental, 100% online e transmitido pelo seu canal do YouTube. O evento contou com a participação de vários especialistas da área, que realizaram palestras e discutiram temas cada vez mais relevantes aos profissionais e à sociedade em geral, com destaque para o anúncio da entrega ao Conselho da minuta de um Plano de Fiscalização Ambiental, pela coordenadora do encontro, a Engª Agrª Waleska Del Pietro (foto abaixo). “O plano foi elaborado pela comissão organizadora do evento. Não existia ainda um plano como esse. É fundamental entender que as questões ambientais fazem parte de todas as Engenharias, tudo está conectado com o meio ambiente” – disse a engenheira agrônoma.



Na abertura do evento o presidente do Confea, Eng. Civ. Joel Krüger (no telão abaixo), agradeceu ao Crea-SP e ao Eng. Vinicius Marchese, “pela oportunidade de participar do encontro, que colabora para a ampliação do conhecimento e fortalece a profissão, ainda mais por São Paulo ter o maior número de engenheiros ambientais registrados do país”.



Transformação Digital


Em seguida, o presidente do Conselho paulista, Eng. Telecom. Vinicius Marchese (no telão abaixo), fez uma apresentação sobre o processo de Transformação Digital implantado no Crea-SP. “Atualmente temos em São Paulo cerca de oito mil engenheiros ambientais e sanitaristas registrados. A Transformação Digital pela qual passa o Conselho só tem a colaborar com esses profissionais. Queremos transformar o Crea-SP numa plataforma de serviços digitais, mais ágil e eficiente. Assim, seremos uma referência no setor público. Vamos conectar empresas, profissionais, e estudantes, fornecendo orientação, capacitação, inovação e até mesmo oportunidade de colocação no mercado de trabalho”.



Fortalecer as associações


Para a presidente em exercício da Federação Nacional das Associações de Engenharia Ambiental e Sanitária (FNEAS), Enga Amb. Liane de Moura Fernandes Costa (no telão abaixo), iniciativas como essa fortalecem as associações de classe. “É gratificante perceber a integração dos profissionais. Lembro que a inovação, citada pelo presidente do Crea-SP, faz parte de nossa característica. Estamos sempre buscando melhorias nas nossas práticas”.



Economia circular


O primeiro palestrante do dia, o diretor corporativo da Ambipar, Eng. Amb. Gabriel Estevam, apresentou alguns cases de sucesso de sua companhia, focados em questões como Economia Circular, conceito econômico que faz parte do desenvolvimento sustentável e propõe a reutilização de resíduos de indústrias como matéria-prima reciclada.


O engenheiro (foto abaixo) citou exemplos do uso de resíduos de peixe, que, não sendo descartados, se transformam em ração para cães e gatos. “Percebemos que a indústria pet tem uma carência de alternativas nesse segmento e criamos um processo de transformação” – disse Gabriel.


Outra ação da empresa destacada pelo palestrante é o processamento de lixo orgânico para transformação em “água cinza”, que pode ser utilizada como água de reúso. O engenheiro também falou na utilização de resíduos para a manufatura de cosméticos e produtos de limpeza. “Não queremos ser fabricantes de ração ou cosméticos. O objetivo é mostrar que os resíduos podem voltar para a cadeia produtiva. Enxergar essas oportunidades faz parte da economia circular”.



Tratamento do lixo


O CEO da ZEG Ambiental, Eng. Mecatron. André Tchernobilsky (no telão abaixo), falou sobre tratamento de lixo, que, segundo ele, é responsável por 10% das emissões de gases de efeito estufa, sendo o maior poluente de oceanos e rios e ainda causando cerca de 20 doenças à população. “Os maiores prejudicados com essa situação são os pequenos municípios e o Brasil está pelo menos um século atrasado nessa área” – disse André.


A partir desse desafio, o engenheiro desenvolveu uma solução chamada “aterro sanitário móvel”, que requer pouco espaço para implantação e é indicada para uso em pequenas cidades. “Nosso modelo pode processar plástico, borracha, papel, biomassa e resíduo sólido urbano, além de recuperar matérias-primas e água e produzir energia limpa. Isso é economia circular. A única maneira de resolver o problema do lixo é através da engenharia e da inovação”.



O engenheiro elogiou o formato do encontro, multidisciplinar, que permite uma visão mais ampla sobre projetos na área da Engenharia Ambiental. “Quando o Crea-SP, com sua credibilidade, assume a realização de um encontro com este, é um indicativo para a sociedade de que as engenharias têm uma contribuição muito significativa no que se refere às questões ambientais e de saneamento”.

Tratamento de água


O diretor técnico do Portal Tratamento de Água e do Portal Saneamento Básico, Eng. Sanit. Eduardo Pacheco (no telão abaixo), falou de novas tecnologias em sua área de atuação, como a utilização de membranas e a oxidação avançada. “Sabemos que é necessário tratar a água, mas não mais numa estação convencional. É primordial reabilitar as estações existentes” – disse Eduardo.


O engenheiro sanitarista avalia que o evento tem como destaque divulgar importantes questões da Engenharia Ambiental, como a saúde humana e dos demais seres vivos. “Um encontro como este, que extrapola o círculo da Engenharia Ambiental, permite à sociedade conhecer a contribuição que podemos oferecer”.



Sustentabilidade na indústria


Gerente de Desenvolvimento da Special Dog, o Zootecnista João Paulo Figueira (no telão abaixo) abordou o tema da sustentabilidade, vital para qualquer empresa e para a população em geral. “O ser humano tem consumido cada vez mais e isso tem degradado o planeta. E a previsão para o futuro não é boa. Daí, a necessidade de uma responsabilidade socioambiental na tomada das decisões dentro das corporações” – disse o palestrante.


Figueira contou que sua empresa tem adotado projetos práticos nessa linha, como a produção de um gibi para crianças, com foco em questões ambientais, para ser distribuído em escolas e utilizado em sala de aula. “Também implantamos um sistema de compostagem de resíduos do nosso refeitório, que viram adubo e são utilizados numa horta dentro da empresa, para a produção de hortaliças que voltam para o refeitório”.


Outra ação é o projeto Guarda-Chuva, que capta a água da chuva nos telhados da empresa. A água é clorada e filtrada e usada em vários setores, como na horta, nos banheiros, no lavador de caminhões. “Em 2020 substituímos cerca de 847.000 litros por mês de água da rede pela água da chuva. A expectativa é chegar a um milhão de litros por mês em 2021”. A companhia também é signatária da Agenda 2030, criada pelas Nações Unidas para o desenvolvimento sustentável.



Transporte de resíduos


A diretora-presidente da Cetesb, Dra. Patrícia Iglesias (no telão abaixo), falou do Sistema Estadual de Gerenciamento Online de Resíduos Sólidos (Sigor), que auxilia no monitoramento da gestão dos resíduos sólidos, desde sua geração até a destinação final, incluindo o transporte e destinações intermediárias e permitindo ainda o gerenciamento das informações referentes aos fluxos de resíduos sólidos no estado de São Paulo. “O Sigor está à disposição, já temos cerca de 11 mil empresas cadastradas”.


Além disso, Patrícia tratou da importância do Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR), instituído pela Portaria 280/2020 do Ministério do Meio Ambiente, como ferramenta de gestão e documento declaratório de implantação e operacionalização do plano de gerenciamento de resíduos.



Direito Ambiental


A sócia-fundadora da Santos & Cerântola Sociedade de Advogados e advogada especializada em Meio Ambiente, Adriana Ponce (no telão abaixo), apontou alguns números relacionados ao segmento e como isso pode impactar o mercado de trabalho do engenheiro ambiental. “Em 2020 tivemos 18.000 animais apreendidos e resgatados pela polícia ambiental. Em 2019 o Ibama emitiu 653 licenças ambientais e, em 2020, foram 528 licenças. A Cetesb emitiu 18.000 licenças em 2019 e 17.000 em 2020. Entendam que alguém está atuando nesse mercado. O engenheiro ambiental deve se antecipar, estudar a legislação ambiental e se apresentar aos possíveis clientes”.


Para a advogada, é fundamental que todos percebam que a atuação na área ambiental vai exigir a formação de equipes multidisciplinares. “Isso, inclusive, justifica minha presença neste evento. Eventos com este levam aos estudantes a realidade da profissão, como será seu futuro”.



Áreas contaminadas


O sócio-diretor da SBV Engenharia Ambiental, Eng. Amb. Paulo Oliveira (no telão abaixo), que se considera um abraçador de árvores, abordou a questão de tecnologias inovadoras na remediação de áreas contaminadas. No início, o engenheiro explicou quando é necessária a remediação. “Isso acontece quando há uma fonte de contaminação, um receptor humano ou ecológico ou um caminho que liga a contaminação ao receptor, no presente ou no futuro”.


Em seguida, apontou algumas opções que podem ser utilizadas para a remediação, como o processo térmico, aplicando técnicas de injeção de vapor, indução eletromagnética, incineração ou condução térmica.



Diretrizes para resíduos sólidos


O coordenador executivo do Comitê de Integração de Resíduos Sólidos da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, graduado em Ciências Jurídicas, mestre em Direito Ambiental e especialista em Direito Ambiental, José Valverde Machado Filho (no telão abaixo), ressaltou que o segmento de tratamento de resíduos sólidos é carente da presença do profissional de Engenharia Ambiental. “Isso precisa mudar, o engenheiro ambiental é indispensável, principalmente no planejamento de gestão e gerenciamento dos resíduos”.


Valverde revela que há um grande desafio de promover a valorização dos resíduos sólidos e o estado de São Paulo tem buscado isso por meio do Comitê que ele coordena. “Temos no Estado 645 municípios e 440 deles têm até 25 mil habitantes. Por isso, é preciso resolver a questão dos resíduos sólidos de maneira regionalizada e os engenheiros ambientais podem ajudar muito, nas questões de remediação, monitoramento e fiscalização, por exemplo. O trabalho técnico é fundamental”.



Pagamento por serviços ambientais


O deputado federal e Eng. Civ. Arnaldo Jardim (no telão abaixo), abordou o projeto que cria a Política Nacional de Pagamento por Serviços Ambientais (PNPSA), destinada a ajudar produtores rurais, indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais na conservação de áreas de preservação. “Uma rara e importante conquista”.


O deputado, que foi relator do projeto, ainda destacou o compromisso dos engenheiros ambientais e sanitaristas com as questões de sustentabilidade, emissão de gases de efeito estufa e mudanças climáticas. “O Brasil muitas vezes é visto como vilão nesse cenário; porém, a nossa legislação ambiental é a mais rigorosa do mundo. Temos todas as condições de nos posicionarmos na vanguarda desse movimento” – disse Arnaldo Jardim.



Cosméticos naturais


A fundadora da Beriah Cosméticos, Engª Amb. Fernanda Abdulhamid (no telão abaixo), contou um pouco sobre sua entrada no mundo dos cosméticos. “Desde o início da faculdade já me envolvi nos projetos de empresa júnior e de empreendimento”.


Depois de formada, Fernanda chegou a atuar em corporações de mineração, bebidas e alimentos. Porém, durante o mestrado, percebeu a possibilidade de empreender e se aprofundou no estudo sobre os impactos causados pela produção e uso de cosméticos convencionais e demais produtos da indústria cosmética e farmacêutica convencional. “Comecei produzindo meu próprio desodorante. Assim, surgiu a Beriah, uma empresa de produtos sustentáveis, naturais e veganos”.



Práticas de Gestão Ambiental


O consultor em Gestão Ambiental e professor universitário José Maria Bernardelli Junior (no telão abaixo), começou sua apresentação abordando a valoração ambiental, relacionada ao apreçamento para recuperação de um estado de desequilíbrio, que precisa ser definida por métodos juridicamente aceitáveis, atendendo aos princípios de proporcionalidade e razoabilidade. “Isso pode ser feito para atender especificamente demandas judiciais” – lembrou o professor.


Esses métodos e técnicas permitem estabelecer estimativas monetárias do recurso específico, em relação a outros bens e serviços disponíveis na economia. “É um processo que vale ser estudado pelo profissional da Engenharia Ambiental”.


Bernardelli citou os sistemas integrados de gestão que contemplam o negócio, o meio ambiente, a saúde e a segurança do trabalhador, com aderência legal e adoção de melhores práticas, com objetivo de alcançar resultados satisfatórios. “Aqui temos alguns desafios, como rever processos, engajar pessoas e a maneira como enxergamos os problemas”. 


O último ponto foi a análise dos fatores ambientais, sociais e de governança, que devem ser considerados para a realização de investimentos nas empresas. “Hoje as questões ambientais estão sendo relegadas ao quinto ou sexto plano. Em contrapartida, eventos como este mostram que temos muita gente capacitada atuando e trazendo informações, e dispostas a discutir e a trocar ideia. Eventos com este apontam para a renovação”.



Papel das associações


O conselheiro do Crea-SP, Eng. Amb. e Seg. Trab. Alan Romão (no telão abaixo), ressaltou a relevância do evento promovido pelo Conselho. “Fazer um evento dessa magnitude também tem como meta fortalecer a união do Crea-SP com as associações em prol da sociedade. Contamos sempre com a participação das entidades de classe”.


A presidente da Associação dos Engenheiros Ambientais da Bacia do Alto Tietê – São Paulo (Aeabat), Engª Amb. Carla Falasca, completou que o evento também mostrou que a Engenharia Ambiental tem várias situações diferentes a encarar, várias frentes de trabalho. “Dessa forma, é importante o processo contínuo de capacitação profissional, como o curso de pós-graduação, oferecido pela parceria do Crea-SP com a Univesp e Unesp”.



Debate final


Como última parte do evento, os mestres de cerimônia (na foto abaixo) Maria Constantino e Rodrigo Coladello promoveram um debate com alguns dos palestrantes, a respeito das melhores formas de empreender nas atividades de Engenharia Ambiental.



Confira, a seguir, importantes conselhos dos palestrantes:



Eduardo Pacheco


“Os investidores são frios na hora de decidir onde vão aplicar seus recursos. Então, antes de mais nada, tenha um bom plano de trabalho na mão”.



Paulo Vieira


“Empreender é um caminho árduo. Procure um diferencial e busque cada vez mais conhecimento. Foco nas questões fiscais, que podem ser complexas”.



Adriana Ponce


“Conheça a legislação e a use a seu favor. A legislação é um grande instrumento para inovação e empreendimento. Empreender é estar antenado com as novidades”.



José Maria Bernardelli Junior


“Elabore um bom planejamento estratégico, aprofunde seus conhecimentos e estude o mercado. É preciso entender quem será o consumidor dos seus produtos ou serviços e defina os canais de comunicação que usará para chegar a esse consumidor”.



André Tchernobilsky


“Encontre um problema e crie uma solução inovadora para resolvê-lo. Lembre-se de que no Brasil é muito difícil conseguir crédito para novos negócios. Os programas de fomento de inovação, instituídos por empresas privadas, são boas alternativas”.

Produzido por CDI Comunicação

Supervisão: Departamento de Comunicação do Crea-SP / SUPGES


Fonte

Evento em Brasília contou com a presença do embaixador de Cabo Verde


Teve início na manhã de ontem (03/02), em Brasília, o 10º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea, evento realizado simultaneamente nesta semana às primeiras reuniões do Colégio de Presidentes e do Colégio de Entidades Nacionais (CDEN) do ano. Na próxima semana acontecem as reuniões de várias coordenadorias nacionais em cinco diferentes locais do Distrito Federal, a fim de se evitar aglomerações e para cumprimento das devidas adequações às normas sanitárias de combate à Covid-19.


O Encontro de Líderes contou com a presença do embaixador de Cabo Verde, José Pedro M. Chantre D’Oliveira, que, em breve depoimento, enalteceu o potencial das relações bilaterais entre Brasil e Cabo Verde e a expectativa do estreitamento das relações institucionais com o Conselho Federal. Segundo o diplomata, “as relações históricas, culturais e a linguagem em comum contribuem para a relação entre nossos países”. 



Durante a abertura do evento, o presidente do Confea, eng. civ. Joel Krüger, também frisou a importância da atuação conjunta entre os países lusófonos, destacando o posicionamento estratégico de Cabo Verde e sua geografia, como porta de entrada do mercado americano. Krüger ainda sinalizou para breve a assinatura de um termo de reciprocidade entre a Ordem dos Engenheiros de Cabo Verde e o Confea. “Temos um termo de reciprocidade que deve ser pautado até março para análise do Plenário. Em julho será realizada a reunião da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), quando deveremos assinar o termo de cooperação mútua com Cabo Verde e Angola”, anunciou o presidente do Confea.


Antes de encerrar os trabalhos pela manhã, Joel compartilhou com os presidentes as ações do Sistema, como o Acordo de Cooperação Técnica com o Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), com o Mercado Livre, o convênio com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e a reunião com o Itamaraty sobre a proximidade com os países da CPLP.  O presidente ainda destacou como ações parlamentares a reunião com o Ministério da Educação e o Ministério da Economia sobre a Resolução nº 64/2020 do Comitê para Gestão da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (CGSIM).



No período da tarde foram eleitos como coordenador e coordenador adjunto do Colégio de Presidentes para o ano de 2021 o eng. civil Afonso Lins (Crea-AM) e o eng. Agrônomo Raimundo Ulisses (Crea-PI). Nesta quinta-feira (04/02) o secretário de Advocacia da Concorrência e Competitividade, Geanluca Lorenzon, deverá comparecer ao encontro para debater com as lideranças do Sistema a Resolução nº 64/2020 do CGSIM.



Fonte: Comunicação do Confea.


 


Fonte

Parabéns do Crea-SP!



O Crea-SP homenageia nesta data os profissionais que, incansavelmente, fazem cumprir a lei, atividade fim do nosso Conselho. 


Fiscalizar é garantir segurança a toda a sociedade, com ações de valorização dos profissionais habilitados nas diversas áreas das Engenharias, da Agronomia, das Geociências e da Tecnologia. 


O trabalho dos agentes fiscais impede que postos de trabalho dos bons profissionais sejam ocupados por leigos. 


Parabéns, Agentes Fiscais do Crea-SP!


Fonte

Especialistas e autoridades da área no Estado apresentarão perspectivas da profissão



No dia 30 de janeiro (sábado) o Crea-SP realizará o 2º Encontro Paulista de Engenharia Ambiental. O evento será online e gratuito, das 9h00 às 13h00, e os participantes terão certificado de participação. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelo endereço eletrônico https://conteudo.smarteco.com.br/crea-2021. Em comemoração ao Dia do Engenheiro Ambiental, o Conselho reunirá especialistas e autoridades das Engenharias Ambiental e Sanitária no Estado para apresentar perspectivas da profissão e atualização de conhecimento.

Na avaliação do presidente do Crea-SP, Eng. Telecom. Vinicius Marchese, ações como essas fomentam a capacitação profissional e representam um passo importante para uma mudança de estratégia, com o objetivo de apresentar o Conselho também como uma plataforma de serviços e disseminação de conhecimento para todos os profissionais registrados.


Confira a programação


09h às 09h40 – Abertura

Presidente do Crea-SP, Eng. Telecom. Vinicius Marchese Marinelli


09h40 às 10h20 – Palestra

Eng. Amb. Gabriel Estevam, diretor corporativo do Grupo Ambipar

Os benefícios da inovação e sustentabilidade no empreendedorismo ambiental


10h20 às 12h50 – Apresentação de cases


Eng. Civ. Marcos Penido, secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, apresentando boas práticas do órgão público.


Eng. Mecatron. André Tchernobilsky, CEO e fundador da ZEG Technologies & Environmental (startup com foco em Tratamento Térmico de Resíduos), apresentando boas práticas da empresa.


Eng. Sanit. Eduardo Pacheco, diretor do Portal Tratamento de Água e do Portal Saneamento Básico, apresentando “Novas Tecnologias de Tratamento de Água e Esgoto: Utilização de Membranas, Oxidação Avançada”.


João Paulo Figueira, gerente de Desenvolvimento Sustentável na Special Dog Company, apresentando “Sustentabilidade na Indústria”.


Patrícia Iglesias, diretora-presidente da Cetesb, professora associada na Faculdade de Direito da USP, apresentando aspectos de “Advocacia Ambiental e Projetos de Pesquisa”.


Adriana Ponce Coelho Cerântola, advogada, sócia-fundadora da Santos & Cerântola Sociedade de Advogados, apresentando “O Direito Ambiental como Ferramenta para Atuação do Engenheiro Ambiental”.


Eng. Amb. Paulo Oliveira, sócio-diretor da SBV Engenharia Ambiental, apresentando “Tecnologias Inovadoras na Remediação de Áreas Contaminadas”.


Eng. Civ. Arnaldo Jardim, deputado federal, membro do Conselho Consultivo do Instituto de Engenharia (IE), apresentando aspectos do “Pagamento por Serviços Ambientais”.


José Maria Bernardelli Junior, consultor técnico em Gestão Ambiental Empresarial, palestrante e professor universitário, apresentando “Práticas de Gestão Ambiental: Valoração de Recursos e Sistemas de Gestão Integrada”. 


José Valverde Machado Filho, mestre em Direito Ambiental, coordenador executivo do Comitê de Integração de Resíduos Sólidos da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, apresentando “As Diretrizes do Estado de São Paulo para Resíduos Sólidos – A Importância da Engenharia Ambiental”.


Eng. Civ. Benedito Braga, presidente da Sabesp, apresentando boas práticas da empresa.


12h50 – Painel de Encerramento

Eng. Amb. Alan Romão, conselheiro do Crea-SP e representante do Crea-SP junto ao Grupo de Análise e Aprovação de Projetos Habitacionais do Estado de São Paulo (GRAPROHAB). 


 


Fonte

O evento será realizado pelo Ibape-SP com apoio institucional do Crea-SP



De 1 a 5 de fevereiro, o Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de São Paulo (Ibape-SP), com apoio institucional do Crea-SP, realizará o “1° Seminário Internacional de Avaliação de Bens Rurais e Ambientais”, por meio da Plataforma Zoom.


No decorrer dos cinco dias, o evento abordará temas relacionados à avaliação, perícia e meio ambiente, com a participação de 20 palestrantes nacionais e internacionais, em 13 conferências e uma mesa redonda.


As inscrições são limitadas e, para quem garantir a vaga até o dia 1º de fevereiro, os valores são de R$ 100,00 para associados do Ibape-SP e R$ 150,00 para não associados.


 


 


Saiba mais:


https://ibape.ecommerceflex.com.br/evento_detalhado.php?id=226


Fonte

Objetivo é estreitar relacionamentos e absorver experiências



No dia 28 de janeiro o presidente do Crea-SP, Eng.Telecom. Vinicius Marchese recebeu na Sede Faria Lima a visita do presidente do Crea-TO, Eng. Civ. Daniel Iglesias de Carvalho. “Estamos no início de uma nova administração e conversando com vários Regionais. Queremos estreitar relacionamentos e conhecer processos e experiências que estejam em prática em outros estados”, afirmou Daniel Iglesias. Também participou do encontro o superintendente Institucional do Crea-TO, Fred Guerra.  


Depois de tomarem conhecimento das iniciativas do Crea-SP para o novo mandato, os visitantes foram recebidos pela superintendente de Fiscalização, Eng. Maria Edith dos Santos, que apresentou o plano de fiscalização adotado pelo Conselho. 


Para o presidente do Crea-SP, esses contatos são de vital importância. “A troca de ideias é fundamental, pois eu vejo o Sistema como um todo. Daí a relevância dos Regionais se aproximarem”.


 


Produzido por CDI Comunicação

Supervisão: Departamento de Comunicação do Crea-SP / SUPGES 


Fonte

Presidente da ABAP, Karine Moreira foi recebida pelo presidente do Conselho, Vinicius Marchese



No dia 19 de janeiro a presidente da Associação Brasileira de Avaliação e Perícia (ABAP), Karine Moreira, visitou o gabinete da presidência do Crea-SP, na Sede Faria Lima, para breve reunião de trabalho com o presidente do Conselho, Eng. Telecom. Vinicius Marchese.

Na ocasião, foram tratadas questões a respeito da Resolução nº 4.754/2019, editada pelo Banco Central (Bacen), a qual determina a dispensa de visita de inspeção (vistoria) nas avaliações de imóveis por profissionais habilitados, através de Modelo de Precificação, em discordância com as normas da ABNT vigentes. Representando a UNAPP, o Eng. Agron. André Luiz Borrasca externou sobre o engajamento das entidades de classe nesta questão, bem como a discussão em andamento no Colégio de Entidades Regionais.  

Também participaram da reunião o diretor administrativo da Mútua, Eng. Seg. Trab. Ronaldo Florentino dos Santos, e o Eng. Civ. Mauro Montenegro, conselheiro do Crea-SP .

Produzido por CDI Comunicação

Supervisão: Departamento de Comunicação do Crea-SP / SUPGES 


Fonte